Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

No âmbito da celebração do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, o grupo de Educação Especial promoveu três atividades no Agrupamento. A primeira, intitulada Desporto Sobre Rodas – Ação de Formação e dinamizada pela PCAND (Paralisia Cerebral – Associação Nacional de Desporto), ocorreu n dia 15 de novembro. Esta ação abrangeu as turmas de ensino profissional dos 11º e 12º anos, assim como pessoal docente e não docente do Agrupamento. Através dela todos os envolvidos ficaram com uma certeza: além de todos os benefícios para a saúde que a prática do desporto fornece, há um ainda mais importante para as crianças portadoras de deficiência: a sensação de LIBERDADE, de INCLUSÃO, de PERTENÇA a um grupo! Os alunos da nossa escola tiveram ainda a oportunidade de experimentar Slalom em cadeira de rodas e realizar um percurso em tricicleta. Todos fizeram questão de participar e, deste modo, colocar-se no lugar do outro, ficando assim mais sensibilizados.

No dia 2 de dezembro a ACAPO (Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal) dirigiu-se ao Centro Escolar e à escola de Ribeira de Pena. Os alunos ficaram a saber mais sobre a deficiência visual, conheceram e praticaram técnicas de orientação e mobilidade. Foi uma atividade muito interativa e estimulante a nível sensorial. Adquiriram-se diretrizes muito importantes para se poderem ajudar cegos e para os tratarem com dignidade. Foi muito interessante ver que, após o fim da ação de sensibilização, no recreio da escola, os alunos tentaram pôr em prática as técnicas aprendidas! 

Finalmente, no dia 5 de dezembro, o primeiro, segundo e terceiro ciclos de Cerva, receberam uma visita muito especial: Armando Santos, professor de história no Agrupamento de Escolas Nadir Afonso, em Chaves e invisual. O professor Armando conversou com os nossos alunos de forma muito cordial e falou sobre a sua história de vida. Desmistificou uma série de crenças que os alunos tinham e respondeu a todas as questões colocadas, com simpatia e humor! Explicou o que é a escrita Braille e exemplificou o que é este tipo de escrita na sua máquina de braille, escrevendo o nome dos alunos a uma velocidade que nos deixou a todos estupefactos!

Esclareceu como se orienta sem qualquer tipo de ajuda e como dá as aulas aos seus alunos. Relatou ainda como ficou cego, devido a uma brincadeira de crianças alertando assim para o cuidado a ter durante as brincadeiras. Informou que é uma pessoa muito ativa e que nunca consegue estar parado! Que usa telemóvel e computador como toda a gente e, para incredibilidade de muitos, consegue ver as horas no seu relógio de pulso! Deixou uma mensagem importante quando um aluno lhe perguntou se sabia fazer contas: apesar de a tecnologia ter vindo facilitar imenso a vida dos cegos, ele gosta de pensar pela sua cabeça e não pela cabeça das máquinas! As contas, disse ele, fá-las de cabeça, apesar de ter uma calculadora. No final da sua visita, o professor ofereceu aos alunos um alfabeto em braille e uma mensagem para eles descodificarem. Agora, mãos à obra!

O grupo da Educação Especial agradece a toda a comunidade a ajuda, o envolvimento e a participação nestas atividades. O comportamento dos alunos foi exemplar. Acreditamos que todos ficámos um pouco mais ricos, sensibilizados e predispostos a contribuir para uma verdadeira inclusão.

Autor: Susana Alves (grupo de Educação Especial)

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.